Trabalhadores encontram ossada em terra vendida do cemitério de Catalão.

Na manhã desta quinta-feira (21) a Polícia Militar de Catalão foi acionada por pedreiros que trabalham em uma obra no Bairro Alvino Albino, de acordo com eles forram aterrar o local, e para surpresa ao começarem encontraram osso humano, um pedaço de caixão e uma placa de túmulo com o nome de uma mulher falecida no ano de 2002.

Imediatamente a policia militar foi acionada e em seguida a Polícia Civil foi chamada para perícia, segundo informações, a terra foi retirada do cemitério São Pedro, localizado no bairro Primavera.O cemitério e administrado por uma  Funerária da cidade.

11281757_1395241734138250_1792514089_n

                                                Cemitério São Pedro

Vale ressaltar que a retirada de terra do cemitério vem acontecendo a vários anos. A reportagem do blog Diante do Fato irá entrevistar uma família que teve a  ossada de um ente querido desaparecida do cemitério , a família já entrou com processo contra a administração do cemitério. Segundo eles, a ossada do pai também desapareceu, e já está na justiça. Em breve os seguidores do Blog irá acompanhar essa matéria.

11328910_1395241710804919_1663553447_n

Cabe a administração do cemitério tomar uma providência. É um fato lamentável, e se realmente estiver acontecendo, é um caso sério. Já pensou você perder um ente querido e ser desrespeitado dessa maneira? Pessoas que morreram em 2012 estão sendo desenterradas para venda ilegal de terra? Alguém é responsável pela fiscalização desses caminhões? Para quem estava sendo destinado o dinheiro da venda? Fica a pergunta no ar.

Motorista fica gravemente ferido após tombar carreta na GO-330.

_DSC0551

Aconteceu na tarde desta quinta-feira um grave acidente na GO-330, entre Catalão e Ipameri. O fato se deu por volta das 14h. Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual, o motorista da carreta perdeu o controle de direção após uma curva.

Segundo relatos de testemunhas, o pneu dianteiro da carreta estourou o que ocasionou a perda da direção. O veículo bateu no barranco e tombou. O motorista  GUIMARÃES JOSÉ BELCHIOR, de 49 anos, ficou preso nas ferragens.

_DSC0567

O Corpo de Bombeiros de Catalão e o Samu de Ipameri foram acionados para retirarem a vítima das ferragens. Eles demoraram duas horas para retirarem a vítima das ferragens.

_DSC0595

Na ocasião foram usados guinchos, pois a carreta estava carregada com aproximadamente 35 mil litros de glicerina. A carreta carregou em Ipameri e seguia até a cidade de Santos em São Paulo, quando o acidente aconteceu próximo ao Rio Veríssimo.

A vítima foi encaminhada para Santa Casa de Catalão em estado grave.

_DSC0622 _DSC0628 _DSC0636 _DSC0625 _DSC0559

Duas mulheres foram presas após tentarem entrar no presídio de Catalão com drogas escondidas nas vaginas.

Duas mulher foram presas na manhã desta quinta-feira (21) ao tentarem entrar no presídio de Catalão com drogas escondidas na vagina.A unidade prisional fica localizada no bairro Primavera.

A primeira mulher foi presa ao passar pela revista intima, onde constatou-se que ela estava com aproximadamente 350 gramas de maconha introduzidas na vagina.Segundo informação, a droga seria entregue para seu marido, que está preso a cerca de 90 dias. A mulher foi encaminhada para delegacia de polícia e ficou a disposição do delegado de plantão. A vitima não teve sua indenidade revelada.

11289825_1394897597505997_1506449805_n

A segunda mulher foi presa pelos agentes de Repressão a Narcóticos de Catalão (GENARC). Segundo o Delegado Fernando Maciel, a mulher de 30 anos, é natural do estado de MG e foi abordada na rua, antes de entrar no presídio. E. G. N. foi autuada por tráfico de drogas e encaminhada para delegacia do Genarc, localizada na Avenida Major Paulino onde ficou a disposição do delegado.

11301558_1394899427505814_1241330305_n

Há cerca de um mês uma outra mulher tentou entrar com um celular escondido na vagina e também foi flagrada, é a segunda vez, este ano, que pessoas tentam entrar com objetos escondidos nas partes íntimas no presídio de Catalão.

Três pessoas foram presas por tráfico, receptação e formação de quadrilha em Catalão.

11334318_1394775517518205_2012373721_n

O Grupo de Repressão a Narcótico (Genarc) de Catalão prendeu na noite desta quarta-feira (20), três pessoas suspeitas de receptação, tráfico de drogas e formação de quadrilha, os suspeitos foram presos no bairro São José.

Após os agentes da polícia adentrarem a residência do suspeito, encontraram vários objetos de furtos e um veículo que era usado pelos suspeitos.

Os presos estavam sendo monitorados pelos agentes do Genarc por aproximadamente 20 dias. Segundo o delegado do Genarc, Fernando Souza Maciel, os suspeitos são velhos conhecidos da polícia, eles estavam praticando vários roubos em residências de Catalão, além do envolvimento com tráfico de drogas.

11103506_1394775540851536_1100579784_n

                       Delegado do Genarc, Fernando Souza Maciel

Os três meliantes foram encaminhados para delegacia e ficaram a disposição do delegado de plantão, posteriormente foram encaminhados para o presídio de Catalão onde foram autuados em flagrante.

Essa é foi a segunda operação realizada pelo (GENARC) nessa semana. A primeira denominada “Operação K2” aconteceu na tarde desta última terça-feira (18),  onde foram presas três pessoas e apreendido uma grande quantidade de drogas .

Vereadores de Catalão aprovou a abertura da (CEI) para investigar os Contratos da câmara de vereadores na Gestão do presidente Deumar Barbosa (PMDB)

_DSC0218

Requerida pelos vereadores  e aprovada pela maioria dos parlamentares, a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara pretende investigar a gestão do vereador Deusmar na Presidência da Casa. os vereadores ressaltaram que foram muitas as denúncias quanto aos contratos firmados por Deusmar e, por isso, é preciso averiguar. “Após o presidente  tomar posse na Câmara, recebemos dezenas de denúncias anônimas e até pedidos do Ministério Público para que investigássemos a atuação do ex-presidente Deusmar Barbosa. Ele vai ter que nos apresentar os contratos e balancetes dos oito anos em que foi presidente, porque a sociedade catalana merece respostas” justificou vereador Célio Almeida.